ABNT/Comitê Brasileiro 055 de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento CB 055 informa que foi publicada a NR 7256 Tratamento de ar em estabelecimentos assistenciais de saúde (EAS) – Requisitos para projeto e execução das instalações.

Acesse a norma no catálogo da ABNT AQUI 

Confira a entrevista pingue-pongue com o Eng° Oswaldo Bueno

1 – De quando era e quanto tempo levou para a revisão final a 7256

A versão revisada da ABNT NBR 1256:2005 Projeto e execução de instalações de tratamento de ar em estabelecimentos assistenciais de saúde (EAS). Requisitos para projeto e execução das instalações  foi a de 2005 e o início dos trabalhos se deu em 19 de julho de 2012 ou seja levamos 9 anos do início a sua publicação em agosto de 2021. Foram necessárias duas consultas nacionais: uma em 2018 e a outra em 2021. A regra principal é a de assegurar o consenso entre os participantes procurando atingir o melhor resultado

2 – Quais os principais pontos que levaram a necessidade de revisão da NR?

É um procedimento da ABNT solicitar às comissões de estudo a revisão das normas a cada 5 anos, informando se ela deve ser cancelada, revisada ou mantida. No caso da ABNT NBR 7256 houve uma evolução considerável nos procedimentos para assegurar a qualidade interna do ar em estabelecimentos assistenciais de saúde

3 – Quais os principais desafios na revisão?

O principal desafio nesta revisão foi a escolha entre um padrão de referência mínimo ou uma especificação rigorosa informando e descrevendo os ambientes típicos.

Os ambientes típicos são:

  1. a) Protetores o paciente está imunocomprometido e deve ser protegido
  2. b) Ambiente de isolamento de pacientes com doenças transmitidas pelo ar. Médicos, enfermeiras, funcionários e visitantes devem ser protegidos do paciente, cuja doença é transmitida pelo ar

4 – Quais as principais mudanças?

As principais mudanças foram:

  1. a) classificação por ambiente protetor ou ambiente com paciente com infecção transmitida pelo ar;
  2. b) Descrição detalhada das características dos ambientes através de 7 tabelas;
  3. c) Proteção contra incêndio
  4. d) elaboração de 7 tabelas com as descrições dos principais ambientes:

Tabela A.1 — Unidade de atendimento imediato — Emergência e urgência

Tabela A.2 – Unidade de internação e unidade de queimados

Tabela A.3 — Centro cirúrgico

Tabela A.4 — Central de material esterilizado

Tabela A.5 — Diagnóstico e terapia

Tabela A.6 — Apoio técnico/ Apoio logístico

Tabela A.7 – Ambientes diversos

  1. e) Anexo C – Figuras com diferentes configurações para aplicações em quartos PE (protetor) e AII (doenças transmitidas pelo ar)

5 – Quais mensagens devemos passar ao setor AVAC-R

A norma 7256 revisada irá exigir maior rigor e qualidade do ar interno, como consequência maior cuidado no projeto, fabricação dos equipamentos, instalação, mas principalmente na operação e na manutenção, para manter as características do projeto/fabricação/instalação original

6 – Quais mensagens devemos passar aos hospitais e áreas médicas?

A informação de que a qualidade do ar interno é parte fundamental no tratamento dos doentes para que se curem e não sejam contaminados por outras doenças.

É importante verificar qual é o custo de construção, instalação e de operação, se o paciente e o governo terá recursos financeiros para pagar o tratamento médico que necessita.

 

Eng. Oswaldo Bueno – coordenador

Clara Lúcia – Secretária

ABNT/CB-055/ABRAVA

Fone: (11) 3361-7266

Skype: clucia04

cb-055@abnt.org.br