O legado produzido pelo XVII CONBRAVA 2021 é fruto das análises, discussões, ponderações e propostas apresentadas nas quatro “Mesas Redondas”, que em tese sintetizam todo o conteúdo gerado nas palestras apresentadas durante os 3 dias de trabalhos.

Esse legado servirá para a comunidade técnico-científica-acadêmica basear seus futuros projetos e ações em benefício do contínuo desenvolvimento tecnológico e das boas práticas nos Setores do Ar Condicionado, Refrigeração, Ventilação e Aquecimento. 

 

A. Mesa-Redonda de Qualidade do Ar Interno – baseou-se na situação dos ambientes interiores no contexto da pandemia da COVID-19, com especial atenção para a monitoração de grandezas em ambientes interiores com registro contínuo, e discutiu aspectos da interpretação destas informações. Concluiu que a mitigação dos riscos para as pessoas nestes ambientes é o principal objetivo a ser atingido. Para tanto deve-se atentar para a monitoração de parâmetros relacionados com a QAI, com destaque para os seguintes fundamentos:

    1. Revisão histórica de doenças transmissíveis pelo ar, aspectos da ventilação relacionados e eventos já ocorridos no passado.
    2. Implementar as ações dos estudos que entendam e modelem os movimentos de partículas em suspensão no ar, considerando a correlação entre partículas de diferentes tamanhos com os processos infecção de pessoas.
    3. Valorizar a integração entre as áreas da saúde e da tecnologia-engenharia para que os resultados dos avanços a favor das pessoas sejam mais acessíveis para todas as camadas da sociedade, e ocorram de modo mais rápido e eficaz.
    4. Avaliar os ambientes em períodos estendidos, que são mais significativos que “picos” de valores medidos pontualmente, é de suma importância.
    5. Da mesma maneira é importante que os sistemas de monitoração estabeleçam comunicação com os ocupantes, e ofereçam resultados representativos por períodos amplos no tempo, para melhor informar e trazer conhecimento para as pessoas.
    6. Promover a interação entre a área médica e a área técnica do AVAC-R, questionando quais são as ações que devem ser desenvolvidas para que novos avanços possam ser efetivados trazendo os benefícios da QAI para todos na sociedade.

 

B – Mesa-Redonda de Eficiência Energética 

  1. Maior atenção na fase de projeto orientando a introdução, sempre que possível, de ações passivas, sejam ela de caráter arquitetônico ou de barreiras térmicas que impeçam a entrada de calor no ambiente condicionado ou refrigerado;
  2. Melhor orientação para operadores das instalações de médio e grande porte, possibilitando que todos os detalhes pensados no projeto sejam devidamente compreendidos pelos operadores, certificando-se que a eficiência prevista do sistema seja auferida e mantida durante o caminhar da vida útil da instalação;
  3. Atenção para os detalhes construtivos dos equipamentos de forma que a sua manutenção reflita as condições previstas pelo fabricante;
  4. Nas linhas leves de equipamentos de condicionamento de ar, como “splits” por exemplo, sejam observadas as regras e normas adequadas para sua instalação, obtendo assim a eficiência prevista pelo fabricante e dentro, logicamente, das condições de operação e uso;
  5. Utilização de calor residual como fonte direta de energia para sistemas de climatização e refrigeração;
  6. Recuperação do calor de condensação do ciclo de refrigeração para aquecimento de água doméstica e industrial, ou outro fim útil.
  7. Olhar sob o mote da energia empregada na produção de equipamentos e materiais utilizados no setor de AVAC-R, expandindo assim nossa visão crítica além das fronteiras puras do equipamento e da instalação. Esse olhar deve se voltar para as fontes renováveis e não poluidoras de energia, sejam as utilizadas primariamente nos sistemas de AVAC-R, sejam aquela para a obtenção da matéria prima do produto final.

 

C- Mesa-Redonda de Tratamento de Água em Sistemas de AVACR – Com o tema estreando em mesa redonda no CONBRAVA a discussão foi prioritariamente focada na relevância desse aspecto para obtenção de bons resultados na operação de sistemas de climatização e refrigeração, com destaque para:

  1. Reforçado o fato que a definição do tratamento de água deve ser uma solução integrada em que devem ser analisadas as origens da água utilizada (reuso, rios, lagos, poços, etc.)
  2. Atenção em relação a heterogeneidade da demanda do sistema bem como a confiabilidade dos parceiros a serem escolhidos para a definição e implantação do programa de tratamento de águas.
  3. Ressaltado que o tratamento de água está incluído nas normas e orientações técnicas associadas ao PMOC e os impactos da sua falta ou deficiências na eficiência energética dos sistemas de climatização e refrigeração.
  4. Discutido uma maior necessidade da fiscalização por parte dos órgãos governamentais bem como a discussão da elaboração de padrões de água no Brasil.

 

D – Mesa-Redonda de Fluídos Refrigerantes – Foi enfatizada a necessidade de ratificação da Emenda de Kigali breve pelo Brasil. Ressaltou-se o fato das questões ambientais nem sempre serem prioridade para nossos políticos. A demora gera insegurança para o mercado e nos limita ao acesso a recursos do fundo multilateral, postergando uma transição tecnológica. Os recursos poderiam, ainda, ser usados para capacitação e treinamento. Entre outros assuntos discutidos destaca-se: 

  1. A eliminação gradual do HFC sob a Emenda Kigali, bem como os regulamentos regionais e nacionais, está levando a indústria a usar refrigerantes com baixo GWP. Equipamentos para uso desses refrigerantes e sua comercialização ganhou impulso.
  2. Existem alternativas para substituição de refrigerantes com alto GWP e novos refrigerantes com baixo GWP foram propostos, o que cria um desafio para encontrar o melhor refrigerante para cada aplicação. Foi apresentada case no Brasil de fluidos refrigerantes hidrocarbonetos, cujo uso está crescendo no mundo.
  3. Refrigerantes com baixo impacto direto nas mudanças climáticas são frequentemente inflamáveis e podem ter maior toxicidade. Discutiram-se os riscos de utilização desses refrigerantes. Houve entendimento que para manter os atuais níveis de segurança, novas tecnologias estão sendo desenvolvidas e que será necessário um nível maior de treinamento para o uso de novos fluidos refrigerantes de baixo GWP, envolvendo a adequada instalação e manutenção dos sistemas.
  4. Os HFOs deverão ter disponibilidade crescente nos próximos anos;
  5. Reciclagem, logística reversa e embalagens foram estão no foco das ações. O correto tratamento dos fluidos reciclados pode evitar o descarte prematuro de equipamentos ainda em condições de operação.

 

PALAVRA DO PRESIDENTE – Eng° Leonardo Cozac

A XVII edição do CONBRAVA destacou-se pelos diversos trabalhos relacionados ao tema qualidade do ar interno, principalmente pelo momento pandêmico que vivemos, ressaltando as soluções que sistemas de AVACR podem trazer para redução dos riscos de contaminação em ambientes fechados, sempre com o foco na conservação de energia e menor impacto ambiental. O próprio local de realização do evento foi preparado para um ambiente seguro aos congressistas, sendo monitorado em tempo integral o evento.

Soluções de engenharia podem, e devem ser realizadas para garantir uma boa qualidade do ar interno, com consumo eficiente de energia e sustentabilidade.

Destaque também para grande número de trabalhos apresentados por jovens profissionais do setor, representado pelos vencedores do Prêmio Nelson Baptista:

1º lugar – Inovação Tecnológica na elaboração de projetos e o resultante aumento da qualidade e segurança dos serviços – Gustavo Lopes Coimbra, Rute de Araújo, Daniel Reis, Luca Felipe Bragança Silva

2º lugar – Equipamento de refrigeração para uso em crioterapia: Controle de temperatura, compressão e tempo no tratamento – Adalto Alves de Almeida Junior, Eduardo Ferreira Domingos, Alexsandre Soares de Almeida

3º lugar – Análise ecoenergetica de um ar condicionado fotovoltaico – Patrick Vieira, Alexandre F Santos, Heraldo Jose Lopes de Souza, Marcio Camargo

Diversas tendências e soluções para melhor o bem-estar, segurança e qualidade de vida da população foram discutidos nos 3 dias do evento, cumprindo a missão dessa edição.

 

Para mais informações a respeito do CONBRAVA acesse www.conbrava.com.br ou via email conbrava@abrava.com.br

 

Confira na íntegra a abertura, considerações dos coordenadores das mesas-redondas e premiação 

Abertura oficial – acesse

Eficiência Energética – acesse

Fluído Refrigerante – acesse

Qualidade do Ar Interno – acesse

Tratamento de Águas – acesse

Premiação – acesse    

Confira o álbum de fot por dia de realização

dia 23 acesse

dia 24 acesse

dia 25 acesse