1 A- Quais Leis, resoluções e decretos podem ser relacionadas a inibição da proliferação do coronavírus?

  • Lei 13.589 – PMOC
  • Portaria 3523/98
  • RE-09/2003 – ANVISA
  • Norma ABNT 16401

 

2 A – Qual a rotina adequada para um ambiente que conta com o uso do sistema de climatização artificial?

As atividades previstas para manutenção de sistemas de climatização têm por base a norma ABNT NBR 13.971, com suas periodicidades definidas pelo Responsável Técnico Habilitado, a menos de alguns componentes que já tem suas periodicidades definidas na Resolução RE-09 da ANVISA.

 

3 A – Os Bactericidas aplicados em sistemas de ar-condicionado para higienização agem como imunizantes ao vírus?

Os produtos recomendados para limpeza de ar condicionado devem ser biodegradáveis, seguir as normas do Ministério da Saúde. São produtos sanitizantes, que tem em sua composição agentes ativos tais como desengordurantes e saponáceos, que são componentes que destroem os vírus e outros micro organismos.

  

4 A- Quais cuidados um profissional de manutenção deve ter ao higienizar um equipamento em um ambiente que houve a confirmação de uma pessoa contaminada

Deve-se tomar todas as medidas de proteção individual, tais como o uso de EPIs devidamente certificados, tais como:

– Óculos

– Luvas

– Protetor facial, para lavagens

– Uniforme adequado

– Calçado de segurança

Os trabalhadores deverão estar plenamente treinados, capacitados e orientados em como proceder cada etapa de suas atividades, evitando contato direto com os componentes sujos.

Filtros descartáveis deverão ser removidos e embalados em sacos plásticos de lixo.

 

5 – Em relação aos filtros, utilizados na filtragem do ar, como saber qual o adequado para cada tipo de equipamento ou ambiente?

Para a correta aplicação dos filtros, deve-se recorrer sempre ao Responsável Técnico, que irá se valer das Normas vigentes, tais como a NBR 16.401 e 16.101.

 

06- Acerca da periodicidade da limpeza de dutos, houve alguma alteração com o aparecimento do COVID-19?  E quanto à substância higienizadora, seria necessária a aplicação de algum em específico?

Não temos informações sobre o novo CoronaVirus  em câmaras de refrigeração para preparação de alimentos de 12 a 18 ºC. Tudo o que conheço é que a melhor forma de controlar a sua quantidade em suspensão é pela renovação com ar externo. O virus pode ser transportado por partículas muito pequenas, cerca de 0,1 micronsmetro, se nada for feito ele irá ficar em suspensão no ar por um longo período. Normalmente partículas de pequeno tamanho como esta é lançado no ar através de uma conversa normal. O EPI que considero obrigatório é a máscara para evitar o lançamento do virus no ar.

O texto a seguir tem utilidade para sistemas de condicionamento de ar.

Estão mantidas as regras de higienização dos dutos e equipamentos de condicionamento de ar.

A manutenção é parte da prevenção contra a transmissão de doenças pelo ar é necessário também a filtragem, higienização, a renovação de ar (ar externo) e a movimentação do ar (insuflação).

Como informação apresento a seguir:

a) parte de um texto emitido pela ASHRAE “Guidance for Building Operations during the COVID 19 Pandemic,

b) Normas da ABNT relacionadas a qualidade do ar

1.0 – Recomendação ASHRAE.

De uma forma muito reduzida, usarei um texto enviado pela ASHRAE, que pode ser acessado pela conexão:

https://www.ashrae.org/news/ashraejournal/guidance-for-building-operations-during-the-covid-19-pandemic

a tradução foi feita por mim e é de minha responsabilidade:

São sugeridas algumas ações relacionadas aos sistemas de HVAC, caso alguma disseminação do vírus possa ser afetada:
•     Aumentar a ventilação do ar externo (tenha cuidado em áreas altamente poluídas); com uma população menor no edifício, isso aumenta a ventilação efetiva por diluição por pessoa.
•     Desative a ventilação controlada por demanda (DCV), mantenha a vazão de ar externo constante e no máximo.
•     Os registros de ar externo devem ser abertos, até o máximo de 100% da vazão de ar insuflado, eliminando a recirculação (na meia estação, de clima ameno, isso não afeta o conforto térmico ou a umidade, mas claramente se torna mais difícil em condições climáticas extremas do verão ou do inverno).
•     Melhore a filtragem de ar central para o MERV-13 (o mínimo aceitável é o M5 ou o mais alto), compatível com o quadro do filtro e sele as bordas do filtro para limitar a infiltração de ar sem passar pelo filtro.
•     Mantenha os sistemas em operação por mais horas, se possível 24 horas por dia, 7 dias por semana, para aprimorar as duas ações acima.
•     Considere purificadores de ar portáteis com filtros HEPA.
•     Considere o UVGI (irradiação germicida ultravioleta), protegendo os ocupantes da radiação,  particularmente em espaços de alto risco, como salas de espera, prisões e abrigos.

2.0 – Normas da ABNT – CB-055.

Recomendo consultar a ABNT: www.abntcatalogo.com.br  para verificar e se possível adquirir as normas sobre a qualidade do ar interno:

Norma     – Número – Ano de Publicação – Nome – Parte

ABNT NBR 16655-1:2018 – Instalação de sistemas residenciais de ar-condicionado – Split e compacto – Parte 1: Projeto e instalação

ABNT NBR 16655-2:2018 – Instalação de sistemas residenciais de ar-condicionado – Split e compacto – Parte 2: Procedimento para ensaio de estanqueidade, desidratação e carga de fluido frigorífico

ABNT NBR 16655-3:2018 Emenda 1:2019 – Instalação de sistemas residenciais de ar-condicionado — Split e compacto – Parte 3: Método de cálculo da carga térmica residencial

ABNT NBR 16666:2018 – Fluidos frigoríficos — Designação e classificação de segurança

ABNT NBR 16667:2018 – Especificações para fluidos frigoríficos

ABNT NBR 13598:2018 – Vasos de pressão para refrigeração

ABNT NBR 16069:2018 – Segurança em sistemas frigoríficos

ABNT NBR 16476:2016 – Trocador de calor remoto de líquido e ar movimentado por convecção forçada (dry cooler) – Método de ensaio para determinação de desempenho

ABNT NBR 13971:2014 – Sistemas de refrigeração, condicionamento de ar, ventilação e aquecimento — Manutenção programada

ABNT NBR 16255:2013 – Sistemas de refrigeração para supermercados — Diretrizes para o projeto, instalação e operação

ABNT NBR 16235:2013 – Dutos fabricados em painéis pré-isolados

ABNT NBR 16186:2013 – Refrigeração comercial, detecção de vazamentos, contenção de fluido frigorífico, manutenção e reparos

ABNT NBR 14679:2012 – Sistemas de condicionamento de ar e ventilação — Execução de serviços de higienização

ABNT NBR 15976:2011 – Redução das emissões de fluidos frigoríficos halogenados em equipamentos e instalações estacionárias de refrigeração e ar condicionado — Requisitos gerais e procedimentos

ABNT NBR 15960:2011 – Fluidos frigoríficos — Recolhimento, reciclagem e regeneração (3R) — Procedimento

ABNT NBR 15848:2010 – Sistemas de ar condicionado e ventilação – Procedimentos e requisitos relativos às atividades de construção, reformas, operação e manutenção das instalações que afetam a qualidade do ar interior (QAI)

ABNT NBR ISO 11650:2008 – Desempenho de equipamento de recolhimento e/ou reciclagem de fluidos refrigerantes

ABNT NBR 16401-1:2008 – Instalações de ar-condicionado – Sistemas centrais e unitários
Parte 1: Projetos das instalações

ABNT NBR 16401-2:2008 – Instalações de ar-condicionado – Sistemas centrais e unitários
Parte 2: Parâmetros de conforto térmico

ABNT NBR 16401-3:2008 – Instalações de ar-condicionado – Sistemas centrais e unitários
Parte 3: Qualidade do ar interior

ABNT NBR 7256:2005 – Tratamento de ar em estabelecimentos assistenciais de saúde (EAS) – Requisitos para projeto e execução das instalações

ABNT NBR 10085:1987 – Medição de temperatura em condicionamento de ar – Procedimento