Nesta página você encontra:


Poluição do ar em ambientes internos e os efeitos à saúde

Qualidade do ar em ambientes internos (QAI) refere-se à qualidade do ar dentro e ao redor de edifícios e estruturas, especialmente no que se refere à saúde e ao conforto dos ocupantes do edifício.

Entender e controlar poluentes comuns em ambientes fechados pode ajudar a reduzir o risco de problemas de saúde na população.

Os efeitos à saúde causados pelos poluentes atmosféricos em ambientes internos podem ser experimentados logo após a exposição ou a longo prazo.

 

Efeitos imediatos

Alguns efeitos sobre a saúde podem aparecer logo após uma única exposição ou exposições repetidas a um poluente. Estes incluem irritação dos olhos, nariz e garganta, dores de cabeça, tonturas e fadiga. Tais efeitos imediatos geralmente são de curta duração e tratáveis. Às vezes, o tratamento consiste simplesmente em eliminar a exposição da pessoa à fonte da poluição, se esta pode ser identificada. Logo após a exposição a alguns poluentes atmosféricos internos, os sintomas de algumas doenças, como a asma, podem aparecer, ser agravados ou piorados.

A probabilidade de reações imediatas aos poluentes do ar de ambientes internos depende de vários fatores, incluindo idade e condições médicas preexistentes. Em alguns casos, se uma pessoa reage a um poluente depende da sensibilidade individual, que varia tremendamente de pessoa para pessoa. Algumas pessoas podem se tornar sensibilizadas para poluentes biológicos ou químicos após exposições repetidas ou a altas concentrações.

Certos efeitos imediatos são semelhantes aos de resfriados ou outras doenças virais, por isso, muitas vezes é difícil determinar se os sintomas são resultado da exposição à poluição do ar no interior. Por esse motivo, é importante prestar atenção ao tempo e ao lugar em que ocorrem os sintomas. Se os sintomas sumirem ou diminuirem quando a pessoa está longe da área, por exemplo, uma investigação deve ser feita para identificar fontes de contaminação que possam ser causa. Alguns efeitos podem ser piorados devido a uma renovação inadequada de ar do exterior que vem para dentro de casa ou das condições de aquecimento, arrefecimento ou umidade predominantes em ambientes fechados.

 

Efeitos a longo prazo

Outros efeitos sobre a saúde podem aparecer anos após a ocorrência da exposição ou somente após longos ou repetidos períodos de exposição. Esses efeitos, que incluem algumas doenças respiratórias, doenças cardíacas e a câncer, podem ser debilitantes ou fatais. É prudente tentar melhorar a qualidade do ar do interior de sua casa mesmo que os sintomas não sejam perceptíveis.

Embora os poluentes comumente encontrados no ar  de ambientes internos possam causar efeitos nocivos, há uma incerteza considerável sobre quais concentrações ou períodos de exposição são necessários para produzir problemas de saúde específicos. As pessoas também reagem de forma muito diferente à exposição a poluentes atmosféricos de ambientes internos. Pesquisas adicionais são necessárias para entender melhor os efeitos sobre a saúde decorrentes da exposição a concentrações médias de poluentes encontrados nas residências e quais efeitos ocorrem após exposição a elevadas concentrações por curtos períodos de tempo.

 


Principais causas dos problemas do ar em ambientes internos

As fontes que liberam gases ou partículas no ar são a principal causa de problemas de qualidade do ar nos ambientes internos. A ventilação inadequada pode aumentar os níveis de poluentes internos ao não transportar ar exterior suficiente para diluir as emissões de fontes internas e não transportar poluentes atmosféricos do interior para fora. Os altos níveis de temperatura e umidade também podem aumentar as concentrações de alguns poluentes.

 

Fontes de poluentes

Existem muitas fontes de poluição do ar em ambientes internos. Estas podem incluir:

  • Equipamentos de combustão
  • Produtos de tabaco
  • Materiais de construção e mobiliário diversos como:
  • Isolamento deteriorado de amianto
  • Revestimento, estofamento ou tapete recém-instalado
  • Armários ou mobiliário feito de certos produtos de madeira prensada
  • Produtos para limpeza e manutenção doméstica, cuidados pessoais ou de lazer
  • Sistemas de aquecimento e arrefecimento central e dispositivos de umidificação
  • Excesso de umidade
  • Fontes ao ar livre, tais como:
  • Radônio Pesticidas
  • Poluição do ar externo

 

A importância relativa de qualquer fonte única depende da quantidade de poluente emitido e de quão perigosas são essas emissões. Em alguns casos, fatores como a idade da fonte e se ela é devidamente mantida são significativos. Por exemplo, um fogão a gás incorretamente ajustado pode emitir significativamente mais monóxido de carbono do que um que esteja adequadamente ajustado.

 

Algumas fontes, como materiais de construção, mobiliário e produtos como purificadores de ar, podem liberar poluentes de forma mais ou menos contínua. Outras fontes, relacionadas a atividades como fumar, limpar ou redecorar e algumas atividades de lazer podem liberar poluentes intermitentemente. Os aparelhos sem ventilação adequada ou com defeito ou com produtos inadequados podem liberar níveis mais altos e, por vezes, perigosos em ambientes fechados.

As concentrações de poluentes podem permanecer no ar por longos períodos após algumas atividades.

Para saber mais sobre poluentes atmosféricos e fontes de poluição do ar em ambientes internos, consulte:

 

  • Amianto → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/asbestos-impact-indoor-air-quality
  • Poluentes biológicos→ https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/biological-pollutants-impact-indoor-air-quality
  • Monóxido de carbono (CO) → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/carbon-monoxides-impact-indoor-air-quality
  • Formaldeído / Produtos de madeira prensada→ https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/formaldehydes-impact-indoor-air-quality
  • Chumbo (Pb) → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/leads-impact-indoor-air-quality
  • Dióxido de nitrogênio (NO2) → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/nitrogen-dioxides-impact-indoor-air-quality
  • Pesticidas → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/pesticides-impact-indoor-air-quality
  • Radonio (Rn) → https://www.epa.gov/radon
  • Material particulado em ambientes internos→ https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/indoor-particulate-matter
  • Fumo passivo / fumaça de tabaco no ambiente → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/secondhand-tobacco-smoke-and-smoke-free-homes
  • Fogões, aquecedores, lareiras e chaminés → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/clean-cookstoves
  • Compostos Orgânicos Voláteis (COV) → https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/volatile-organic-compounds-impact-indoor-air-quality

 

Ventilação inadequada

Se pouca quantidade do ar exterior entrar em ambientes fechados, os poluentes podem se acumular em níveis que podem causar problemas de saúde e conforto. A menos que os edifícios sejam construídos com meios mecânicos especiais de ventilação, aqueles projetados e construídos para minimizar circulação de ar entre o exterior e o interior, podem ter maiores níveis de poluentes no ambiente interno.

 

Como o ar do ambiente externo entra em um prédio

O ar pode entrar e sair de um edifício: por infiltração, ventilação natural e ventilação mecânica. No processo conhecido como infiltração, o ar exterior flui para edifícios através de aberturas, juntas e rachaduras em paredes, pisos e tetos, e em torno de janelas e portas.

Na ventilação natural, o ar se move através de janelas e portas abertas. O movimento do ar associado à infiltração e à ventilação natural é causado por diferenças de temperatura do ar entre o interior e o exterior e pelo vento. Finalmente, há uma série de dispositivos de ventilação mecânica, como ventiladores e exaustores, que removem o ar de um ambiente individual de forma intermitente, como banheiros e cozinha. E sistemas de tratamento de ar que utilizam ventiladores e dutos para remover continuamente o ar interno e distribuir o ar filtrado e condicionado do exterior para pontos estratégicos em toda a casa. A taxa em que o ar exterior substitui o ar interior é descrita como a taxa de renovação do ar. Quando há pouca infiltração, ventilação natural ou ventilação mecânica, a taxa de renovação do ar é baixa e os níveis de poluentes podem aumentar.

 


Identificando problemas em ambientes fechados

Alguns efeitos sobre a saúde podem ser indicadores úteis de um problema de qualidade do ar no ambiente interno, especialmente se eles aparecem depois que uma pessoa se muda para uma nova residência, remodela ou reforma uma casa, ou após a aplicação de pesticidas em uma casa. Se você acha que tem sintomas que podem estar relacionados ao seu ambiente familiar, discuta-os com seu médico ou no seu serviço de saúde local para ver se eles podem estar sendo causados ​​pela poluição do ar no interior.

Você também pode consultar um alergista ou um especialista em medicina do trabalho para obter respostas às suas perguntas.Outra maneira de avaliar se sua casa tem ou pode desenvolver problemas de ar interior é identificar potenciais fontes de poluição do ar.

Embora a presença de tais fontes não significa que necessariamente que você tem um problema de qualidade do ar no interior, estar ciente do tipo e número de fontes potenciais é um passo importante para avaliar a qualidade do ar em sua casa.Uma terceira maneira de verificar se a sua casa pode ter uma qualidade do ar inadequada é considerar o seu estilo de vida e atividades. As atividades humanas podem ser fontes importantes de poluição do ar no ambiente interno.

Finalmente, procure sinais de problemas com a ventilação em sua casa. Sinais que podem indicar que sua casa pode não ter ventilação suficiente incluem:

  • condensação de umidade nas janelas ou paredes
  • odor desagradável ou abafado
  • equipamentos sujos de ar condicionado e/ ou aquecimento
  • áreas onde livros, sapatos ou outros itens tornam-se mofadosPara detectar odores em sua casa, afaste-se por alguns minutos e ao voltar, observe se os odores são perceptíveis.

 


Melhorando a qualidade do ar nos ambientes internos

A informação aqui fornecida baseia-se na compreensão científica e técnica atual das questões apresentadas. Seguir a recomendação fornecida não proporcionará necessariamente uma proteção completa em todas as situações ou contra todos os riscos para a saúde que podem ser causados ​​pela poluição do ar nos ambientes internos.

 

Existem três estratégias básicas para melhorar a qualidade do ar interior

  • Controlar a fonte
  • Ventilação eficiente
  • Purificadores de ar

 

Controlar a Fonte:

Geralmente, a maneira mais eficaz de melhorar a qualidade do ar nos ambientes internos é eliminar fontes individuais de poluição ou reduzir suas emissões. Algumas fontes, como aquelas que contêm amianto, podem ser seladas ou vedadas; outras, como fogões a gás, podem ser ajustadas para diminuir a quantidade de emissões.

Em muitos casos, o controle de fontes também é uma abordagem mais econômica para proteger a qualidade do ar interior do que o aumento da ventilação, porque aumentar a ventilação pode aumentar os custos de energia.

 

Ventilação Eficiente: 

Para a maioria dos problemas de qualidade do ar em casa, o controle da fonte é a solução mais efetiva.

Outra abordagem para reduzir as concentrações de poluentes atmosféricos em ambientes internos é aumentar a quantidade de ar exterior que vem para dentro do ambiente.

A maioria dos sistemas de aquecimento e arrefecimento doméstico, incluindo sistemas de aquecimento de ar forçado, não trazem mecanicamente o ar para dentro da casa. A abertura de janelas e portas, quando o tempo permite, ou o funcionamento de um ar condicionado de janela com o controle de ventilação aberto, aumentam a taxa de ventilação ao ar livre. Os ventiladores usados em banheiros ou cozinha que transferem o ar para o exterior removem contaminantes diretamente do ambiente onde o ventilador está localizado e também aumentam a taxa de ventilação do ar exterior.

É importante tomar o maior número possível de medidas para melhorar a ventilação enquanto você está envolvido em atividades de curto prazo que podem gerar altos níveis de poluentes – por exemplo, pintura, remoção de tinta, uso de aquecedores a querosene, cozinhando ou envolvendo atividades de lazer e manutenção, como soldar ou lixar. Você também pode escolher fazer algumas dessas atividades ao ar livre, se puder e se o tempo permitir.

Os projetos modernos de novos empreendimentos estão começando a apresentar sistemas mecânicos que trazem o ar do ambiente externo para o interior. Alguns desses projetos incluem ventiladores energeticamente eficientes (também conhecidos como roda entálpica).

A ventilação e sombreamento podem ajudar a controlar a temperatura no interior. A ventilação também ajuda a remover ou diluir os poluentes do ar provenientes de fontes internas. Isso reduz o nível de contaminantes e melhora a qualidade do ar no interior (QAI). Avalie cuidadosamente o uso de ventilação para reduzir os poluentes atmosféricos em ambientes internos, onde houver  fontes externas de poluentes, como fumaça ou lixo, nas proximidades.

A introdução do ar do exterior livre de contaminação é um fator importante na promoção da boa qualidade do ar. O ar pode entrar em uma casa de várias maneiras diferentes, incluindo:

  • ventilação natural, por exemplo através de janelas e portas
  • meios mecânicos, por exemplo entradas de ar do exterior associadas ao sistema de aquecimento, ventilação e ar condicionado (AVAC)

infiltração, processo pelo qual o ar do exterior flui para o ambiente interno através de aberturas, juntas e rachaduras em paredes, pisos e tetos, e em torno de janelas e portas.

Infiltração ocorre em todas as casas de uma certa maneira.

A ventilação natural descreve o movimento do ar através de janelas e portas abertas. Se for usada adequadamente, a ventilação natural pode, por vezes, ajudar a moderar a temperatura do ar no interior, que pode ficar muito quente em lares sem sistemas de ar condicionado ou quando as quedas de energia ou apagões limitam ou impossibilitam o uso do ar condicionado.

A ventilação natural, com ar contendo baixos níveis de poluentes, também pode melhorar a qualidade do ar no interior reduzindo os poluentes que estão dentro de casa.

Exemplos de ventilação natural são:

  • janelas e portas abertas
  • sombreamento da janela, como fechar as persianas

A maioria dos sistemas de ar condicionado e aquecimento residenciais não trazem ar do exterior para a casa mecanicamente, e infiltração e ventilação natural são as alternativas para levar o ar para dentro. Os projetos avançados para novos ambientes estão começando a adicionar uma característica mecânica que traz o ar exterior para a casa através do sistema AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado). Alguns desses projetos incluem ventiladores energeticamente eficientes para mitigar o custo do resfriamento e aquecimento do ar durante o verão e o inverno.

 

Purificadores de ar

Existem muitos tipos e tamanhos de purificadores de ar no mercado, que vão desde modelos de mesa até sistemas  para casas inteiras, mais sofisticados. Alguns purificadores de ar são altamente eficazes na remoção de partículas, enquanto outros, incluindo a maioria dos modelos de mesa, são muito menos efetivos. Os purificadores de ar, geralmente, não são projetados para remover poluentes gasosos.

A eficácia de um filtro de ar depende de quão bem ele coleta poluentes do ar no ambiente interno (expresso como uma taxa de eficiência percentual) e quanto ar passa através do elemento de limpeza ou filtrante (expresso em metros cúbicos por minuto).

Um coletor muito eficiente com uma baixa taxa de circulação de ar não será efetivo, nem um equipamento com uma alta taxa de circulação de ar, mas um filtro menos eficiente. O desempenho a longo prazo de qualquer filtro de ar depende de mantê-lo de acordo com as instruções do fabricante.

Outro fator importante para determinar a eficácia de um filtro de ar é a emissão do poluente pela fonte. Os purificadores de mesa, em particular, não podem remover quantidades satisfatórias de poluentes de fontes próximas significativas. Pessoas com sensibilidade a determinadas fontes podem achar que os filtros de ar são úteis apenas em conjunto com esforços adicionais para remover a fonte.

Ao longo dos últimos anos, tem havido alguma publicidade sugerindo que plantas em casa demonstraram reduzir os níveis de alguns produtos químicos em experimentos laboratoriais. Atualmente, não há provas de que um número razoável de plantas de uso doméstico removam quantidades significativas de poluentes em casas e escritórios. As plantas de interior não devem ser exageradamente regadas porque o solo excessivamente úmido pode promover o crescimento de microorganismos que podem afetar indivíduos alérgicos.

Atualmente, a EPA www.epa.gov  não recomenda o uso de filtros de ar para reduzir os níveis de radônio e seus produtos de decaimento. A eficácia desses dispositivos é incerta porque eles apenas removem parcialmente os produtos de decaimento do radônio e não diminuem a quantidade de radônio que entra na casa. A EPA planeja fazer pesquisas adicionais sobre se os filtros de ar são, ou podem se tornar, um meio confiável de reduzir o risco à saúde decorrente do radônio.

 


Glossário

Tratamento de ar 

Definição: Uma estratégia de controle da QAI para remover várias partículas e / ou gases do ar. Os três tipos de tratamento (ou purificação) do ar mais comumente utilizados são a filtração de partículas, precipitação eletrostática e absorção de gás.

 

Taxa de renovação do ar

Definição: A taxa em que o ar exterior substitui o ar interior em um espaço. Expresso de duas maneiras: o número  de vezes que o ar externo é trocado por unidade de tempo (por hora); ou a taxa a que um dado volume de ar externo entra no recinto por unidade de tempo – metros cúbicos por hora.

 

Unidade de Tratamento de ar (UTA)

Definição: Para os fins deste documento, refere-se a equipamentos que incluem um ventilador, bobinas de aquecimento e / ou arrefecimento e equipamentos relacionados, tais como controles, bandejas de drenagem de condensado e filtros de ar. Não inclui dutos, registros ou grelhas, ou caldeiras e refrigeradores.

 

Antimicrobiano

Definição: Agente que inibe o crescimento microbiano. Veja “desinfetante” e “esterilizador”.

 

Contaminantes biológicos

Definição: Agentes derivados de organismos vivos (por exemplo, vírus, bactérias, fungos e antígenos de mamíferos e aves) que podem ser inalados e podem causar muitos tipos de efeitos para a saúde, incluindo reações alérgicas, distúrbios respiratórios, doenças de hipersensibilidade e doenças infecciosas. Também referidos como “microbiológicos” ou “microbianos”.

 

Envoltória de construção

Definição: Elementos do edifício, incluindo todos os materiais de construção externos, janelas e paredes, que acondicionam o espaço interno.

 

Doença relacionada ao edifício

Definição: doença diagnóstica cujos sintomas podem ser identificados e cuja causa pode ser diretamente atribuída a poluentes de construção no ar (por exemplo, doença do Legionário, pneumonia de hipersensibilidade). Também: Uma doença ou doença discreta e identificável que pode ser rastreada para um poluente ou fonte específica dentro de um edifício. (Contraste com “síndrome do edifício doente”).

 

Dióxido de carbono

Definição: Um produto de combustão incolor, inodoro e insípido. Todos os processos de combustão e processos metabólicos humanos são fontes de CO₂. As concentrações de CO2 provenientes das pessoas estão sempre presentes em todos os edifícios ocupados, e com adequada  ventilação, o CO₂  não é um risco para a saúde.Sigla: CO₂

 

Monóxido de carbono

Definição: Um gás incolor, inodoro e insípido resultante de queima incompleta de combustíveis de origem orgânica (combustíveis fósseis, biomassa, etc). Muitas vezes, está associado a dispositivos de aquecimento por combustão (por exemplo, caldeiras, fornos) e escapamento de automóveis, caminhão ou ônibus de garagens anexas, estradas próximas ou áreas de estacionamento. Em concentrações moderadas, pode resultar em angina, visão prejudicada e reduzida função cerebral. Em concentrações mais elevadas, a exposição ao CO pode ser fatalSigla: CO

 

Condensação

Definição: A transformação do teor de vapor de água do ar em água líquida em superfícies frias. As goticulas ou gotas de água (ou geadas em clima extremamente frio) que se acumulam no interior da cobertura exterior de um edifício quando o ar aquecido e carregado de umidade do interior atinge um ponto em que a temperatura já não permite que o ar sustente o umidade que detém.

 

Ar Condicionado

Definição: Ar que foi aquecido, arrefecido, umidificado ou desumidificado para manter um espaço interior dentro da “zona de conforto”. (Às vezes referido como ar “refrigerado”).

 

Exaustão mecânica

Definição: remoção mecânica de ar de uma porção de um edifício (por exemplo, peça de equipamento, sala ou área geral).

 

Exposição

Definição: O contato inicial do corpo com uma substância.

 

Formaldeído

Definição: Um gás incolor solúvel em água. Devido ao seu amplo uso, é freqüentemente considerado separadamente de outros compostos orgânicos voláteis (COVs). Os materiais que contêm formaldeído incluem materiais de construção, mobiliário e alguns produtos de consumo. O formaldeído tem um odor pungente e é detectado por muitas pessoas em níveis de cerca de 100 partes por bilhão (ppb). Além do incômodo, também causa queimação aguda nos olhos e irrita as mucosas e as vias respiratórias.

 

Fungos

Definição: Qualquer um de um grupo de plantas inferiores parasitas que não possuem clorofila, incluindo mofo e bolor.

 

Poluente do ar interno

Definição: Partículas e poeiras, fibras, névoas, bioaerosóis e gases ou vapores

 

Qualidade do ar interno

Definição: Um termo que se refere à qualidade do ar dentro e ao redor de edifícios e estruturas, especialmente no que se refere à saúde e ao conforto dos ocupantes do edifício.Sigla: QAI

 

Sensibilidade química múltipla

Definição: Uma condição em que uma pessoa relata sensibilidade ou intolerância (distinto de “alérgico”) a uma série de produtos químicos e outros irritantes em concentrações muito baixas. Existem diferentes opiniões entre os profissionais médicos sobre a existência, causas, diagnóstico e tratamento desta condição.

 

Ventilação natural

Definição: O movimento do ar para dentro e para fora de uma casa através de furos, rachaduras aleatórias,  janelas e portas. O movimento do ar é causado pelo vento e pelas diferenças de temperatura (Efeito Chaminé).

 

Pressão negativa

Definição: Condição que existe quando é fornecido menos ar a um ambiente do que o ar exaurido, de modo que a pressão do ar dentro desse espaço é menor do que nas áreas circundantes. Sob esta condição, se existir uma abertura, o ar fluirá das áreas circundantes para o espaço negativamente pressurizado.

 

Off-Gassing

Definição: produção de gases da deterioração química de uma substância ao longo do tempo e liberação de gases dos materiais para o ar.

 

Compostos orgânicos

Definição: compostos químicos nos quais um ou mais átomo de carbono estão covalentemente ligados a átomos de outros elementos, mais comumente, (H, O e N). Os compostos orgânicos voláteis vaporizam à temperatura e pressão ambiente. Eles são encontrados em muitas fontes internas, incluindo muitos produtos domésticos comuns e materiais de construção.

 

Tomada de ar externo

Definição: Ar do exterior introduzido em um prédio (muitas vezes através do sistema de ventilação) que não foi circulado anteriormente pelo sistema. Também conhecido como “Make-Up Air“.

 

Caminhos de poluentes

Definição: Vias para distribuição de poluentes em um prédio. Os sistemas AVAC são os principais caminhos na maioria dos edifícios; No entanto, todos os componentes de construção interagem para afetar o modo como o movimento do ar distribui poluentes.

 

Pressão positiva

Definição: Condição que existe quando mais ar é fornecido ao ambiente do que  o exaurido, de modo que a pressão do ar dentro desse espaço é maior do que nas áreas circundantes. Sob esta condição, se existir uma abertura, o ar fluirá do espaço pressurizado para as áreas circundantes.

 

Manutenção preventiva

Definição: inspeção, limpeza e substituição regular e sistemática de peças, materiais e sistemas usados. A manutenção preventiva ajuda a evitar falhas de peças, materiais e sistemas, garantindo que peças, materiais e sistemas estejam em bom estado de funcionamento.

 

Radônio

Definição: Um gás radioativo formado na decomposição do urânio.

 

Produtos de decaimento do Radônio

Definição: Os produtos de decaimento de radônio podem ser inalados e nos pulmões continuam a liberar a radiação à medida que se deterioram ainda mais.

 

Síndrome do Edifício Doente

Definição: Termo que se refere a um conjunto de sintomas que afetam algum número de ocupantes do edifício durante o tempo que passam no prédio e diminuem ou desaparecem durante os períodos em que deixam o prédio. Não pode ser atribuído a poluentes específicos ou fontes dentro do edifício. (Contraste com “doença relacionada ao edifício”).Sigla: SED

 

Fontes

Definição: Fontes de poluentes atmosféricos internos. Os poluentes atmosféricos internos podem ser originários do interior do edifício ou podem ser provenientes do ambiente externo. Fontes comuns incluem pessoas, mobiliário de quartos, como carpetes, fotocopiadoras, material artístico, etc.

 

Efeito chaminé

Definição: O movimento ascendente global do ar dentro de um edifício que resulta a subida do ar aquecido e escapando através das aberturas superiores da estrutura do edifício, causando um nível de pressão interna inferior ao do gás do solo abaixo ou ao redor da base do edifício.

 

Pressão estática

Definição: Condição que existe quando uma quantidade igual de ar é fornecida e exaurida de um espaço. Na pressão estática, o equilíbrio foi atingido.

 

Ar de ventilação

Definição: Definido como o ar total, que é uma combinação do ar trazido para dentro do ambiente exterior e do ar que está sendo re-circulado dentro do prédio. Às vezes, no entanto, usado em referência apenas ao ar trazido para o sistema do exterior; Este documento define este ar como “ventilação de ar exterior”.

 

Compostos orgânicos voláteis

Definição: compostos que se vaporizam (tornam-se um gás) à temperatura ambiente. Fontes comuns que podem emitir COVs no ar interior incluem produtos de limpeza e manutenção e materiais de construção e mobiliário. Em quantidades suficientes, os COVs podem causar irritações nos olhos, narizes e garganta, dores de cabeça, tonturas, distúrbios visuais, deficiência de memória; alguns são conhecidos por causar câncer em animais; alguns são suspeitos de causar, ou são conhecidos por causar, câncer em seres humanos. Atualmente, não se sabe muito sobre os efeitos da saúde nos níveis de COVs tipicamente encontrados em edifícios públicos e comerciais.Siglas: COVs