ABRAVA marca presença no Cidad3 com palestra PMOC para arquitetos

Notícias

Na última 6ª. feira, 03 de agosto, a ABRAVA foi convidada a participar do encontro sobre Controle da Qualidade do Ar em Ambientes Fechados, no Cidad3 – Centro de Informação de Decoração, Arquitetura e Design. Na ocasião foi falado sobre a Lei 13.589 – PMOC e Qualidade do Ar em Ambientes fechados. O evento aconteceu em SP.

O evento foi aberto pelo publicitário Paulo Lacerda e mediado pela arquiteta Elisabeth Wey, do studio Wey, que falou sobre aplicação do programa 5S em projetos corporativos.

Na programação do evento, o Eng. Arnaldo Parra, vice-presidente de comunicação e marketing da ABRAVA e especialista em ar-condicionado, discorreu sobre a Lei 13.589 – Lei do Ar Condicionado, que determina a todos os edifícios de uso público e coletivo a ter o PMOC – Plano de Operação, Manutenção e Controle dos sistemas de climatização, com foco nas responsabilidades de cada um dos envolvidos no processo, chamando especial atenção para o envolvimento dos arquitetos.

Para Arnaldo Parra, a Lei 13.589 – PMOC, tem o objetivo de preservar a saúde e bem-estar dos ocupantes dos ambientes climatizados, melhorando a produtividade e ampliando a sensação de conforto das pessoas, o que vem exatamente ao encontro dos objetivos da Arquitetura de modo geral. Esta oportunidade de compartilharmos informações e ideias neste evento foi bastante interessante, visto que podemos auxiliar e contribuir para oferecer cada vez mais, ambientes apropriados às mais diversas atividades.

O vice-presidente da ABRAVA, Gilberto Machado, especialista em automação e controle da qualidade do ar e atual diretor da Pro Air, também palestrou, e falou sobre Qualidade do Ar de Interiores em ambientes como de trabalho, áreas de uso coletivo, e residenciais, destacando os principais pontos que resultam em uma má qualidade do ar como a falta de manutenção.

Para Gilberto “esta oportunidade nos permitiu compartilhar com arquitetos o envolvimento e fundamento do PMOC, sua divulgação e uso adequado, nas diversas atividades direta ou indiretamente do Ar-Condicionado”

Em sua palestra, Gilberto ressaltou que toda edificação é um organismo vivo que absorve poluentes e liberam continuamente gases, materiais particulados, monóxido de carbono, dióxido de carbono e Compostos Orgânicos Voláteis nos ambientes, estes poluentes se concentram progressivamente nos equipamentos e nos elementos de filtragens, assim surge a necessidade da manutenção e higienização periódica para manter estes ambientes saudáveis, com qualidade de vida obrigatória, como fundamentado na nova Lei.

Destacou que os ambientes climatizados internos sem o cuidado adequado, afetam todos, deixando assim os usuários, proprietários e principalmente os profissionais dos setores envolvidos, conscientes de que a nova legislação vem em auxílio e benefício de todos. Garantindo a manutenção e higienização periódica e a performance do sistema de climatização, mantém-se a qualidade de vida, ambiente saudável, confortável e produtivo onde todos ganham: 1- Governo  (arrecadação de impostos e queda de uso hospitalar); Proprietário/ Empresa ( produtividade e absenteísmo); Mercado/ Seguimento HVAC ( oportunidades diversas de negócio); Usuário/População/Sociedade (qualidade de vida, conforto, saúde e produtividade).

O evento foi finalizado com a palestra de Fábio Santiago da Dr. Ácaro que falou sobre higienização em ambientes. Um dos pontos alto do evento foi a interação do público presente com as temáticas apresentadas. Marcaram presença a no evento, o presidente da ABRAVA, Arnaldo Basile, a presidente da ADESP – Associação de Decoração do Estado de São Paulo, membro do Comitê das Cores, representantes Da Dicta, F.Gaspar, Armazém 43, Loja 4D,  Candossim & Cabana – Arquitetos e associados.

Momento Comunicação